Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

O Magnífico Belmondo

Jean-Paul Belmondo, o maior, digo eu, ícone do cinema francês e europeu, já agora, mundial, morreu no passado dia 6, aos 88 anos. Actor fetiche da Nouvelle Vague (a tal corrente criada por críticos cinematográficos quase exclusivamente dos Cahiers du Cinéma, seu porto de abrigo, entre os quais, para além de Godard, pontificavam François Truffaut, Jacques Rivette, Eric Rohmer e Claude Chabrol) graças sobretudo a “O Acossado” (1960) onde deu vida ao pequeno ladrão de automóveis, Michel Poiccard, aliás Lazlo Kovacs, obcecado por Humphrey Bogart, numa clara referência ao filme negro influenciador desta obra, e “Pedro, o Louco” (1965), ambos de Jean-Luc Godard

Caldinho de perdiz assada, feijão de arroz e croutons de alecrim

Caldinho de perdiz assada, feijão de arroz e croutons de alecrim por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Palácio da Vila

Pela objetiva de J. Vasco

Scarlett Johansson, super heroína

Scarlett Johansson processou a Disney, pelo facto de ter lançado o filme “Viúva Negra”, protagonizado pela atriz, na plataforma de streaming Disney+ (uma operação cada vez mais usual dos estúdios) e nos cinemas, arguindo o não cumprimento do contrato, exibição unicamente em salas, uma vez que Johansson recebe a uma percentagem das receitas de bilheteira do filme.

Crumble de morango e mirtilos com aromas da raia (10 pax)

Crumble de morango e mirtilos com aromas da raia por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Richard Donner, Superman e muitos mais

Quando em 1978 “Superman – O Filme”, realizado por Richard Donner, apareceu nos écrans, nascia o primeiro blockbuster recriando para cinema heróis populares da Banda Desenhada, no caso da DC Comics, da autoria de Jerry Siegel, com desenhos de Joe Shuster, cuja primeira publicação aconteceu em 1938 na revista Action Comics #1, nos Estados Unidos.

Supremo de Frango recheado com Chutney de Melancia (10 pax)

Supremo de Frango recheado com Chutney de Melancia por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

The Blues Brothers (o dueto da corda)

Um dos meus “cult movies” é decididamente “The Blues Brothers” (O Dueto da Corda, 1980), dirigido por John Landis, nome incontornável do cinema fantástico e da comédia norte americana.

Exposições no IPCoimbra

A exposição ‘Hansen Stories – Memórias inéditas sobre uma doença e um hospital’ está patente ao público, até 31 de julho, no Centro Cultural do Politécnico de Coimbra.

O património cultural de Sintra Palácio de Queluz - Memória

Venha conhecer as novas fotografias pela objetiva de João Vasco!

Bolo Rico e Húmido de Queijo, Crocante de Salsifis e Sorbet de Framboesa

Bolo Rico e Humido de Queijo Crocante de Salsifis e Sorbet de Framboesa por Mario Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Óscares 2021: on the road again

No ano passado comentámos aqui a cerimónia dos Óscares e a vitória desse fantástico outsider, “Os Parasitas”, filme coreano realizado por Bong Joon-ho, que arrebatou não só a nova denominação de Melhor Filme Internacional (até então melhor filme em língua estrangeira), bem como o Óscar de Melhor Filme, a que se somam os prémios para o Melhor Realizador e de Melhor Argumento Original, para Bong Joon-ho e Han Jin Wan, relegando para segundo plano o super favorito “1917”, de Sam Mendes.

Rente ao silêncio

Manuel Barata acaba de publicar o seu novo livro de poesia. “Rente ao Silêncio”, numa edição de autor. Neste livro, o autor aborda vários temas e quotidianos, de forma simples, mas ao mesmo tempo profunda.

Ervilhas escalfadas com chouriço e ovos

Ervilhas escalfadas com chouriço e ovos por Mario Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

O património cultural de Sintra O Santuário da Peninha

Venha conhecer as novas fotografias pela objetiva de João Vasco!

Bertrand Tavernier

No rico panorama do cinema francês há um realizador que me marcou, não só pela sua qualidade como realizador, mas também como cinéfilo, crítico e historiador.