Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Natal em casa (na televisão)

Se como escreveu o poeta “Natal… é quando um homem quiser”, filmes natalícios há para todos os gostos e formatos. Já aqui abordámos o tema, mas não resistimos a ele voltar. As luzinhas já piscam nalgumas ruas da cidade, ao centro, claro, e o Natal está aí, “inauguradas” que foram as iluminações, a receita milenar, panem et cirences, pelos vistos nunca falha, pelo que já nos podemos sentar na sala e esperar o desfile cinéfilo alusivo à época.

Um cheirinho de Natal... as filhós em mil folhas

Filhós em mil folhas por Mario Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Poesia popular em livro sobre raia beirã

O livro “Poesia Popular da Raia Beirã”, da autoria do investigador Francisco Abreu, acaba de ser apresentado em Penamacor, no âmbito do programa da Vila Madeiro.

Sintra sempre!

Pela Objetiva de J. Vasco

Senhores da música

A importância da música no cinema é inegável. Se nos primeiros tempos do cinema mudo, a música foi introduzida para “silenciar” os projectores e acalmar os ânimos dos espectadores, pouco dados a permanecerem em silencia durante as projecções, aos poucos tornou-se imprescindível.

Véu e bacon crocante com ervilhas (de alecrim) da Joana

Véu e bacon crocante com ervilhas (de alecrim) da Joana por Mario Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Adeus, Daniel Craig, bem vindo 007

Eu, pecador me confesso. Fui dos que torci o nariz à escolha de Daniel Craig para dar corpo a James Bond, ou melhor, 007, o agente secreto, com licença para matar. Confesso que na altura apenas me lembrava dele de “O caminho para a Perdição” (2002), de Sam Mendes, ao lado de Paul Newman e Tom Hanks e em “Munique” (2005), de Steven Spielberg, em que encarnava um dos membros do comando israelita encarregado de eliminar os responsáveis do Setembro Negro, que perpetrou o sequestro e assassinato de atletas da comitiva de Israel nos Jogos Olímpicos de Munique em 1972, papéis que não me marcaram especialmente.

Bacalhau pil pil com piquillos, semi desfeita de grão e tiborninhas de morcela

Ingredientes (10 pax): 5 Postas Bacalhau 200g 300 ml Azeite 700 gr Grão Cozido 5 Fatias de Pão Caseiro 1 Lata de Pimentos Piquillo 100 gr Morcela 100 gr Cebola Picada 50 gr Alho 2 Malaguetas q.b. Coentros q.b. Sal q.b. Pimenta de Moinho

O Magnífico Belmondo

Jean-Paul Belmondo, o maior, digo eu, ícone do cinema francês e europeu, já agora, mundial, morreu no passado dia 6, aos 88 anos. Actor fetiche da Nouvelle Vague (a tal corrente criada por críticos cinematográficos quase exclusivamente dos Cahiers du Cinéma, seu porto de abrigo, entre os quais, para além de Godard, pontificavam François Truffaut, Jacques Rivette, Eric Rohmer e Claude Chabrol) graças sobretudo a “O Acossado” (1960) onde deu vida ao pequeno ladrão de automóveis, Michel Poiccard, aliás Lazlo Kovacs, obcecado por Humphrey Bogart, numa clara referência ao filme negro influenciador desta obra, e “Pedro, o Louco” (1965), ambos de Jean-Luc Godard

Caldinho de perdiz assada, feijão de arroz e croutons de alecrim

Caldinho de perdiz assada, feijão de arroz e croutons de alecrim por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Palácio da Vila

Pela objetiva de J. Vasco

Scarlett Johansson, super heroína

Scarlett Johansson processou a Disney, pelo facto de ter lançado o filme “Viúva Negra”, protagonizado pela atriz, na plataforma de streaming Disney+ (uma operação cada vez mais usual dos estúdios) e nos cinemas, arguindo o não cumprimento do contrato, exibição unicamente em salas, uma vez que Johansson recebe a uma percentagem das receitas de bilheteira do filme.

Crumble de morango e mirtilos com aromas da raia (10 pax)

Crumble de morango e mirtilos com aromas da raia por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.

Richard Donner, Superman e muitos mais

Quando em 1978 “Superman – O Filme”, realizado por Richard Donner, apareceu nos écrans, nascia o primeiro blockbuster recriando para cinema heróis populares da Banda Desenhada, no caso da DC Comics, da autoria de Jerry Siegel, com desenhos de Joe Shuster, cuja primeira publicação aconteceu em 1938 na revista Action Comics #1, nos Estados Unidos.

Supremo de Frango recheado com Chutney de Melancia (10 pax)

Supremo de Frango recheado com Chutney de Melancia por Mário Rui Ramos. Delicie-se com a nossa proposta.