Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Instituição já manifestou essa disponibilidade Politécnico pode acolher alunos afegãos

25-10-2021

O Instituto Politécnico de Castelo Branco está “disponível para acolher estudantes afegãos”. António Fernandes, presidente do IPCB refere que “essa disponibilidade foi manifestada dentro da própria comissão permanente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP)”. De acordo com aquele responsável “o IPCB está alinhado com outras instituições de ensino politécnico”.
António Fernandes explica que “é nossa obrigação acolhê-los da melhor forma”, acrescentando que a barreira da língua será ultrapassada. “Se necessário faremos cursos de português como tem acontecido para os alunos internacionais e de Erasmus. Para além disso, os docentes farão o acompanhamento em inglês”.
O presidente do IPCB esclarece que neste momento ainda não está definido “o número de alunos que podemos vir a acolher”. A questão do alojamento também está a ser vista com cuidado por parte do Politécnico.
Recorde-se que o CCISP, através do seu presidente Pedro Dominguinhos, já tinha manifestado “todo o empenho neste acolhimento para que esses estudantes possam ter alguma esperança no seu futuro”.
Aquele responsável deu conta dessa disponibilidade ao Ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, reafirmando “acompanhar de uma forma muito concordante o apelo do Presidente Jorge Sampaio”.
De referir que antigo Presidente da República, falecido recentemente, enquanto responsável pela Plataforma Global para os Estudantes Sírios, num artigo divulgado no Público, anunciou estar “a ser preparado, para além de um reforço do programa de bolsas para estudantes sírios, libaneses e outros, um programa de emergência de bolsas de estudo e de oportunidades académicas para jovens afegãs”, apelando “a todos parceiros da Plataforma para que colaborem sempre mais connosco”.

 
Voltar