Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Universidade European Research Infrastructure Consortium: Minho é pioneira

28-07-2022

A Infraestrutura de Investigação em Recursos Microbianos (MIRRI), sediada na Universidade do Minho, acaba de receber o estatuto de European Research Infrastructure Consortium (ERIC) da Comissão Europeia. Liderada por Portugal (Braga) e Espanha (Valência), a infraestrutura tem como cofundadores a Bélgica, França e Letónia, sendo candidatos a Grécia, Itália, Países Baixos e Polónia e atual observadora a Roménia, havendo outros países interessados. O projeto preserva, investiga, fornece e valoriza um portefólio de meio milhão de microrganismos, tendo ainda serviços de formação, educativos e altamente especializados.

A MIRRI passa agora a ter uma estrutura legal estável, com vantagens administrativas usufruídas por organizações internacionais, contribuindo para uma maior consolidação e sustentabilidade a longo prazo. O estatuto ERIC é atribuído às principais infraestruturas de investigação europeias em vários domínios. É agora atribuído pela 24ª vez desde 2011, sendo a primeira vez com coordenação portuguesa. A decisão foi publicada no Jornal Oficial da UE, assinada pela comissária europeia para a Inovação e Investigação, Mariya Gabriel.

“A MIRRI-ERIC pode agora tornar-se o ponto de encontro da biodiversidade microbiana com a biotecnologia e a bioeconomia”, diz o seu diretor executivo, Luís Soares, também ligado ao Centro de Engenharia Biológica da UMinho. “Esta infraestrutura está mais fortalecida e vai certamente atrair outros países e organizações de alto nível da Europa e mais além”, refere o professor Nelson Lima, cofundador da iniciativa e diretor da Micoteca da UMinho.

A presidente da assembleia do MIRRI, Marleen Bosschaerts, também se mostra “muito satisfeita” com a nova fase, pois recompensa o trabalho de todos os parceiros ao longo de vários anos. Já a presidente do Fórum Interino de Coordenadores Nacionais do MIRRI, Rosa Aznar, congratula-se por “mais um passo para o MIRRI ser um ator de referência no Espaço Europeu de Investigação”.

 
Voltar