Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Universidade Universidade de Évora: spin-off lidera projeto de hidrogénio natural em projeto euro-africano

26-08-2022

A CONVERGE!, a empresa portuguesa spin-off da Universidade de Évora (UÉ), vai liderar um projeto internacional no domínio da prospeção e exploração do hidrogénio natural - o projeto HyAfrica. O anúncio foi feito ao Ensino Magazine pela própria instituição.

De acordo com a Universidade de Évora, este "será o primeiro projeto de investigação internacional sobre a prospeção e utilização de hidrogénio natural como uma nova fonte de energia. O projeto é cofinanciado pela União Europeia através da “Parceria Euro-Africana em Investigação e Inovação em Energias Renováveis ​​(LEAP-RE)".

"O projeto HyAfrica visa estimar os recursos em hidrogénio natural em regiões promissoras de Marrocos, de Moçambique, da África do Sul e do Togo e avaliar o seu impacto socioeconómico para as comunidades locais", adianta a UÉ.

O consórcio é composto pela CONVERGE!, por dois institutos de investigação alemães Fraunhofer IEE e Leibniz Institute for Applied Geophysics, pela Direção Nacional de Geologia e Minas de Moçambique, e por cinco universidades: Universidade Mohammed Premier (Marrocos), Universidade de Lomé (Togo), Universidade de Limpopo (África do Sul) e Universidade de Pretoria (ambas da África do Sul) e Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). O projeto tem início em agosto de 2022 e terá a duração de três anos.

Segundo a academia, "o hidrogénio natural, também designado por hidrogénio branco, ocorre em ambientes geológicos específicos como resultado de reações químicas entre determinados tipos de rocha e a água, a grandes profundidades. É um recurso natural, gerado continuamente, que pode constituir uma fonte de energia primária e limpa, renovável e sem intermitência. A viabilidade da sua utilização para produção de eletricidade está demonstrada desde 2012 através de um projeto-piloto no Mali". 

De referir que "a União Europeia e vários países africanos já definiram estratégias que exigem a produção de hidrogénio a partir do metano com captura de CO2 (hidrogénio azul) ou da eletrólise da água usando fontes de energia renováveis ​​(hidrogénio verde). O projeto HyAfrica propõe uma abordagem diferente: defende a exploração do hidrogénio que ocorre em formações geológicas e a sua utilização como fonte de energia primária. Este recurso renovável constante pode constituir um complemento de menor custo para a produção de hidrogénio, sem perdas de eficiência associadas ao ciclo de produção industrial do hidrogénio azul e do hidrogénio verde, e sem impactos no uso do solo e no consumo de água inerentes à produção de hidrogénio verde", acrescenta a UÉ.

 

 
Voltar