Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Investigação Universidade de Évora investiga como as vinhas e as aves podem controlar pragas 04-03-2021

A Universidade de Évora (UÉ) desenvolveu um estudo onde se demonstra que que as características das vinhas influenciam o potencial das aves como aliadas no controlo de pragas. Isso mesmo apurou o Ensino Magazine junto da instituição.

Este estudo facilitará a promoção de uma agricultora mais biológica, o que no entender de Rui Lourenço, investigador do LabOr-MED e primeiro autor do artigo agora publicado na revista Ecological Indicators, garantirá "melhores vinhos e a proteção da natureza”.

Em nota enviada à nossa redação pela UÉ, os investigadores explicam que “vinhas de pequena dimensão rodeadas por paisagens heterogéneas estão potencialmente mais protegidas de pragas de inseto. Isto porque estas promovem uma maior diversidade funcional de aves".

De acordo com Rui Lourenço, "o cartaxo-comum, a cotovia-comum, a cotovia-escura, a felosa-poliglota, o rouxinol-do-mato, a toutinegra-de-cabela-preta, ou ainda a poupa, as aves insetívoras comuns nas vinhas, são as que apresentam maior potencial de controlo de pragas".

Na mesma nota, investigador recorda que "estas aves alimentam-se de lagartas, traças, escaravelhos, cigarrinhas e outros invertebrados, combatendo de forma natural as pragas nas vinhas e os resultados agora divulgados permitem aos vitivinicultores definir boas práticas, beneficiando os produtores mas também a biodiversidade”.

No seu entender, “as aves têm um grande potencial no controlo de pragas porque muitas espécies são insetívoras, têm várias funções (por ex. variedade de habitats de alimentação e comportamentos), e são comuns na maioria dos habitats”.

O investigador acrescenta que “existem provas que as aves desempenham o serviço de biocontrolo em vinhas e noutras culturas”.

Para Rui Lourenço, é " inequívoco o valor que o vinho e a vinha têm para o nosso país. São muito relevantes para a economia regional em muitos países e as aves podem ser importantes aliadas da chamada 'vinecologia', integrando as práticas ecológicas na viticultura que vão de encontro à procura crescente por parte de consumidores de vinhos de qualidade e promotores da sustentabilidade ambiental”.

 

 

Desenho de Rui Lourenço
 
Voltar