Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

No combate ao lixo marinho Drones ‘low-cost’ em ação

27-10-2020

Os drones podem ser muito úteis no combate ao lixo marinho, revelam os primeiros resultados do projeto de investigação ‘Mapeamento de lixo marinho com drones low-cost’ (UAS4Litter), que tem como principal objetivo o uso de sistemas aéreos não tripulados, vulgarmente conhecidos como drones (UAS na sigla em inglês, referente a Unmanned Aerial Systems), acoplados a sensores óticos e multiespectrais para a deteção, busca e inspeção autónoma de lixo marinho em áreas costeiras.

Genericamente, o sistema recolhe imagens de praias, que são posteriormente processadas num software fotogramétrico para formar um grande mosaico georreferenciado e retificado (ortofoto), “o qual é depois submetido a uma análise automática, recorrendo a métodos de inteligência artificial, para a identificação e categorização dos diferentes tipos de lixo (plásticos, vidro, borracha, metal, madeira, etc.)”, explicam Gil Gonçalves e Filipa Bessa, investigadores principais do projeto.

As várias experiências já efetuadas mostram que os drones “são adequados para identificar e mapear o lixo marinho”, relatam os coordenadores, sublinhando que foram comparadas várias técnicas para detetar e mapear objetos/itens de lixo marinho em sistemas praia-duna, como por exemplo, “testes com voos de várias altitudes, criámos mapas de lixo e apresentámos abordagens integradas considerando a morfodinâmica dos sistemas costeiros (duna-praia) e a abundância de lixo marinho nestas zonas e ainda a associação a fatores ambientais”.

Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e liderado por investigadores da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), através do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores de Coimbra (INESC Coimbra) e do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE-UC). A área de estudo está localizada no Centro de Portugal Continental (Figueira da Foz, em três praias arenosas com níveis distintos de poluição marinha e pressões de urbanização).

 
Voltar