Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

“SER Consciência...30/1000 por 1VIDA” Tributo a Aristides de Sousa Mendes 23-10-2020

O Projeto UNESCO “Dever de Memória – jovens pelos direitos humanos”, do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, contando com a colaboração dos artistas Josefa Reis e Victor Costa e com o apoio da CNU (Comissão Nacional da Unesco), dado que o Agrupamento se insere na Rede de Escolas Associadas da UNESCO lançou, face à conjuntura atual da Covid 19, um desafio on-line sob o nome “SER Consciência...30/1000 por 1VIDA” - uma exposição virtual de trabalhos literários e artísticos para assinalar os 80 anos do ato de consciência de Aristides de Sousa Mendes.

Esta homenagem, ao cônsul português a quem foi atribuído, em 1967, pelo Yad Vashem (Israel), o título de “Justo entre as Nações”, concedido aos que salvaram vidas de judeus, no contexto da perseguição a este povo e do holocausto, é um Dever de Memória!

O ato de consciência de Aristides de Sousa Mendes foi motivado pelos valores cristãos e humanistas, alicerçado na sua decisão “Prefiro estar com Deus contra os homens do que com os homens contra Deus”, e que no passado dia 17 de junho de 2020, foi mencionado por sua Santidade o Papa Francisco, ao referir esse dia como o Dia da Consciência. Lembremos que Aristides de Sousa Mendes foi alvo de processo disciplinar, movido pelo regime do Estado Novo, em virtude da desobediência à Circular 14 do MNE, a qual proibia a passagem de passaportes e vistos “a estrangeiros de nacionalidade desconhecida, contestada ou litigiosa, apátridas, russos, nomeadamente os portadores de passaporte Nansen”, não reconhecendo a ação altruísta e corajosa deste diplomata, que viveu os seus últimos dias só e em grandes dificuldades.

Tardiamente, já no período pós 25 de abril, foram vários os reconhecimentos no nosso país, nomeadamente a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade atribuída em 2017, a título póstumo, pelo atual Presidente da República, Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, e recentemente, a 9 de junho 2020, foi aprovado por unanimidade o Projeto de Resolução nº 64/XIV/1ª - Concessão de Honras do Panteão Nacional a este herói. Então, lançado o repto, através das redes sociais FB, este suscitou um vivo interesse e foram perto de uma centena os trabalhos recebidos e partilhados na página do Facebook https://www.facebook.com/groups/136854756812783/ e no blog do Projeto http://deverdememoria.blogspot.com/, entre os dias 17 a 19 de junho, a evocar o período em que o cônsul Aristides de Sousa Mendes, em 1940 em Bordéus, terá passado freneticamente milhares de vistos aos refugiados da 2ª guerra, numa altura em que o exército nazi ocupava a França.

A participação livre, contou com obras artísticas e literárias muito diversificadas, um conjunto de contributos em várias modalidades, desde textos, poemas, multimédia, projetos de arquitetura, design gráfico, cartoons, desenho, banda desenhada, pintura, fotografia, ilustração, teatro musical, vídeo em LGP, através da interpretação de Ângela Abreu. Todos de grande qualidade que muito dignificam este humanista, que sempre promoveu as artes e tertúlias literárias nos saraus culturais, no seio familiar na “Casa do Passal”, sua residência em Cabanas de Viriato.

Destaque-se a participação de admiradores desta personalidade, de escolas e colégios, nomeadamente o Agrupamento Frei Gonçalo de Azevedo, o A.E. Montemor-o-Velho, a EB Aristides de Sousa Mendes e a Escola Secundária do AE Carregal do Sal, o Agrupamento de Escolas Soares Basto, o Externato das escravas do Sagrado Coração de Jesus, participação enviada através dos docentes Teresa Freitas, Paula Cristina Ferreira, Josefa Reis, Fernando Ferreira e Mariana Sampaio, de instituições, como o Museu Municipal Manuel Soares de Albergaria e a Contracanto Associação Cultural, esta última com a partilha do vídeo promocional de “Aristides – O Musical”, a ser transmitido no próximo dia 19 de julho na RTP2.

Nas artes plásticas, destaque para a participação de António Moncada de Sousa Mendes, neto de Aristides de Sousa Mendes, e artistas de renome nacional e internacional, como Agostinho Pereira, Augusta Albuquerque, Carlos Farinha, Carlos Godinho, Carlos Seabra, Cláudia Costa, Cristina Cortez, David Fernandes, Edite Melo, Fernando Veloso, Gabriel Gavioli, Gina Marrinhas, Graça Abreu, Hermínia Veríssimo, Irene Felizardo, Josefa Reis, José Cosme, José Ruy, José Craveiro, Júlio Rodrigues, Luísa Prior, Luís de Azevedo Monteiro, Lopes Barbosa, Maria Vasconcelos, Mário Silva (filho), Nelson Santos, Paula Teles, Pedro Ribeiro, Rosa Dixe, Rui Costa, Simão Pedro Figueiredo, Teresa Heitor, Víctor Costa e Víctor Neves.

A modalidade de literatura contou com o contributo de Ana Cristina Luz, embora tenha participado com uma aguarela, Cristina Festas, Dores Fernandes, Helena Romão, Hermínio da Cunha Marques, Íris Letícia Reis Figueiredo, João Rasteiro, Filipa L. R. de Bastos Oliveira, Teresa Pedro e Carla Marques, membro do Ciberdúvidas que se associou a esta iniciativa, com o objetivo de abordar a palavra “consciência”, no programa da Antena 2 Páginas de Português, palavras à tona de água, pois assim como os artistas ilustram o conceito visual de forma multifacetada, também a palavra tem várias significações.

A dinamização desta exposição virtual, a homenagear Aristides de Sousa Mendes, no aniversário dos 80 anos do seu ato de consciência, foi assinalada com uma intensa publicação nas plataformas referidas e várias partilhas, o que faz jus ao seu gesto humanitário, pelo que os organizadores sentiram uma enorme satisfação pela recetividade ao evento, agradecendo a todos os participantes.

Dores do Carmo
Josefa Reis
Víctor Costa

 
Voltar