Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Politécnico Politécnico de Setúbal: estudo revela impacto da pandemia na voz dos professores

06-05-2021

O Politécnico de Setúbal (IPS) anunciou ao Ensino Magazine estar a realizar um estudo que pretende medir o impacto das medidas de combate à pandemia na voz do professor. A investigação é desenvolvida pela Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal (ESS/IPS) e a Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (Departamento de Voz), em parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (Brasil).

Em nota enviada à nossa redação, o IPS explica que a investigação, designada “Covid-19: impacto das medidas de mitigação da pandemia na voz do professor”, é coordenada pela docente Sónia Lima, ESS/IPS. O questionário pode ser respondido AQUI e O IPS convida os docentes interessados a contribuírem com os seus testemunhos.

O estudo, que conta também com a colaboração da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto, parte do contexto presente de pandemia que, ao longo das suas várias fases, implicou a adaptação do corpo docente a novas formas de lecionar, com consequências, maiores ou menores, num dos seus principais instrumentos de trabalho – a voz.

Citada na mesma nota, Sónia Lima, revela que “as novas realidades de ensino, como o ensino à distância, mas também o presencial, com o uso de medidas de proteção como as máscaras, podem ter trazido novos fatores de risco, sendo importante conhecer efetivamente qual o seu impacto, para que se possam orientar programas de Intervenção e Promoção de Saúde Vocal junto destes profissionais”.

Na sua perspetiva, entre os profissionais que utilizam a voz como instrumento de trabalho, “os professores são os que têm maior prevalência de disfonia (perturbação da voz)”, estando frequentemente expostos ao “risco de desenvolver sintomas vocais como rouquidão, soprosidade, fadiga e dificuldade na projeção vocal, associado a fatores como o uso prolongado da voz, ambiente físico de trabalho, hábitos de vida prejudiciais, e situações de stress”.

 
Voltar