Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Modernização da Administração Pública IPG cria estrutura blockchain

22-03-2021

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) quer modernizar a Administração Pública portuguesa com recurso aos protocolos blockchain e tornar-se num centro nacional de competências desta tecnologia. Para avançar com este projeto de modernização financiado pela União Europeia, o IPG criou em Portugal uma unidade da Rede Europeia de Blockchain (EBSI), uma iniciativa da Comissão Europeia para digitalizar os serviços públicos dos Estados-membros.
O projeto visa ainda tornar as bases de dados da Administração Pública portuguesa mais seguras e mais impenetráveis, bem como a participação em projetos europeus de criação de novos serviços para os cidadãos, tendo o IPG como associada a empresa tecnológica portuguesa To Be Blockchain, liderada por António Matias Gil, que está a construir com o IPG o primeiro nó português da EBSI.
“Iremos mostrar as vantagens de segurança desta solução tecnológica, orçamentar a sua implementação em diversos serviços públicos e capacitar os técnicos da Administração Pública para ligarem os seus atuais sistemas informáticos à blockchain”, afirma António Matias Gil, para quem “o IPG tem capacidade para desempenhar um papel importante na manutenção das infraestruturas blockchain e para apoiar unidades da Administração Pública portuguesa, sobretudo ao nível da formação tecnológica, para que esta possa adotar de forma generalizada a tecnologia blockchain nos seus serviços”.
A tecnologia blockchain estrutura-se a partir de bases de dados que funcionam em cadeias de informação criptografadas e descentralizadas, garantindo que qualquer partilha de informação ou registo de transações sejam efetuados de forma segura e permanente. O facto de a informação estar distribuída em vários servidores dificulta a adulteração de qualquer dado.
“A tecnologia blockchain está em clara expansão e tem-se revelado bastante vantajosa em diversos setores de atividade, tanto públicos como privados”, afirma o presidente do IPG, Joaquim Brigas. “Queremos posicionar o IPG na vanguarda nacional desta solução tecnológica, tornando-o numa instituição de ensino superior especializada na transmissão de conhecimento blockchain, através de investigadores e de docentes altamente qualificados nas diversas áreas ligadas às Tecnologias de Informação e Comunicação – TIC”.

 
Voltar