Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Politécnico IPCB: Idanha-a-Nova quer sede da nova escola de informática e gestão

03-03-2021

A Assembleia Municipal de Idanha-a-Nova acaba de aprovar, por unanimidade, uma moção onde apela apela ao Governo para que a futura Escola Superior de Informática e Gestão tenha a sua sede em Idanha-a-Nova, caso o processo de reorganização do Politécnico de Castelo Branco avance.

Em nota enviada ao Ensino Magazine, a Câmara de Idanha-a-Nova refere que a moção foi aprovada no passado dia 26 de fevereiro e será enviada ao Primeiro Ministro e ao Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

A moção refere que “não pode ser um Governo Socialista a aumentar as assimetrias territoriais e a aceitar a saída da sede desta Escola Superior do nosso concelho, homologando os estatutos como estão redigidos, que não definem a sede de uma das quatros escolas em Idanha-a-Nova”.

De acordo com o mesmo documento “tal alteração aos estatutos nunca foi discutida ou veio a público antes das eleições para a presidência do Politécnico de Castelo Branco. Todo este processo foi feito sem ouvir a Autarquia de Idanha-a-Nova, a Assembleia ou a Comunidade Académica. Todo este processo foi preparado na ‘calada da noite’ e com a intensão clara de prejudicar os habitantes de Idanha. Não podem as ilustres Excelências compactuar com políticas de encerramento de serviços públicos onde eles são mais fundamentais”.

Citado na mesma nota enviada à nossa redação, Armindo Jacinto, presidente da Câmara de Idanha-a-Nova (concelho que neste momento acolhe a sede da Escola Superior de Gestão do IPCB) afirma que a autarquia “tem estado na linha da frente na luta pela ESGIN, porque entendemos ser absolutamente crucial a manutenção do Ensino Superior Público em Idanha-a-Nova, com o sucesso que tem tido ao longo dos anos”.

A moção lembra ainda que "esta região é de baixa densidade populacional e todos os investimentos públicos e privados têm um grande impacto no crescimento do nosso território. Quando o Estado abandona estes territórios é ditar a curto e médio prazo a sua morte”.

 
Voltar