Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Politécnico da Guarda Enoturismo dá novo curso

22-03-2021

O Instituto Politécnico da Guarda, em parceria com a Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior – CVRBI, vai lançar uma pós-graduação em Enoturismo. O novo curso de especialização avançada, “foi desenhado em conjunto com a Comissão Vitivinícola para aumentar a qualidade do enoturismo na região da Beira Interior. É uma parceria estratégica com uma entidade que conhece bem as necessidades da região”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG.
A pós graduação foi apresentada, no passado dia 18, em conferência de imprensa. Para o presidente do Politécnico da Guarda, a instituição a que preside “está totalmente empenhada na capacitação de recursos humanos da região para dar resposta às necessidades das empresas, públicas e privadas, contribuindo assim para aumentar a sua competitividade no mercado. Isto é válido para o setor turístico, como é o caso, mas também para os setores automóvel, da saúde ou de outras tecnologias industriais”.
A formação terá a duração de oito meses, será feita nas instalações do IPG e da CVRBI e irá preparar profissionais em matérias de gestão e de marketing aplicados ao enoturismo e ao património gastronómico. As aulas serão lecionadas pelos professores do IPG em conjunto com os profissionais altamente qualificados da indústria do vinho, como o enólogo Anselmo Mendes, o empresário e professor de viticultura João Paulo Gouveia, o jornalista e crítico de vinhos, Fernando Melo, o professor Bianchi de Aguiar, entre outros.
Rodolfo Queirós, presidente da CVRBI, considera que “a Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior quer aproveitar as potencialidades da região – como as aldeias históricas, os geoparques, os produtos endógenos, as serras, as adegas ou o vinho – para desenvolver uma rota de vinhos na Beira Interior”.
Citado na nota de imprensa que o IPG fez chegar à nossa redação, aquele responsável recorda que “um dos entraves que temos encontrado para desenvolver este projeto foi, precisamente, a escassez de recursos humanos qualificados na área do enoturismo, que tem um enorme potencial de crescimento na nossa região. Queremos formar quadros com visão alargada no Enoturismo e empreendedores que possuam a cultura do vinho”.

 
Voltar