Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Liderada pelo Politécnico de Leiria Universidade europeia já mexe 17-12-2020

A Regional University Network (RUN-EU), liderada pelo Politécnico de Leiria, foi oficialmente apresentada a 25 de novembro, tendo já previstas, para os próximos três anos, experiências de imersão de 1615 estudantes e a realização de 686 mobilidades de professores, investigadores e do corpo técnico para a promoção de atividades de desenvolvimento pedagógico, de investigação e de partilha de boas práticas.
Durante a sessão de lançamento da RUN-EU, que decorreu em formato online, o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, apresentou o plano de trabalho definido para a primeira fase da Universidade Europeia que, além do intercâmbio de estudantes e profissionais, prevê a criação de mais de 80 cursos avançados internacionais.
No âmbito da RUN-EU, constituída por oito instituições de ensino superior de seis países europeus, serão ainda cocriados 24 programas europeus de dupla titulação, e desenvolvidos programas conjuntos de licenciaturas, mestrados e doutoramentos. Está também prevista a promoção de projetos internacionais de investigação e desenvolvimento, por via do programa RUN-EU Discovery, que envolverá a mobilidade de 72 estudantes e 96 investigadores em contexto de imersão internacional para investigadores. No plano de trabalhos prevê-se igualmente a realização anual da Semana Internacional do Estudante, onde cerca de 120 estudantes de todas as instituições envolvidas terão a oportunidade de colaborar entre si e de participar em vários programas e cursos.
“A Universidade Europeia RUN-EU será um desafio à comunidade para pensarmos globalmente. Para o Politécnico de Leiria, será uma oportunidade única de disponibilizar licenciaturas, mestrados e doutoramentos a nível europeu, e de aprendermos com outras instituições. Pertencer à RUN-EU é não só fazer parte de uma ‘Liga dos Campeões’ de instituições europeias de ensino superior, mas também de uma importante estratégia para o desenvolvimento do Ensino Superior e da Investigação e Inovação na União Europeia”, salientou Rui Pedrosa.
Com um financiamento total de mais de seis milhões de euros, a RUN-EU é financiada em 80% pela Comissão Europeia e é constituída por oito instituições parceiras: o Politécnico de Leiria e o Politécnico de Cávado e do Ave, de Portugal; o Limerick Institute of Technology (LIT) e o Athlone Institute of Technology, ambos da Irlanda; a Széchenyi István University (SZE), da Hungria; a Häme University of Applied Sciences HAMK, da Finlândia; a NHL Stenden University of Applied Sciences, da Holanda; e a FH Vorarlberg University of Applied Sciences, da Áustria.

Ministro elogia
RUN-EU

O ministro português da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, destacou o papel que a Universidade Europeia RUN-EU terá no desenvolvimento das regiões associadas. “Estas instituições têm aqui a oportunidade de testar e experimentar novas iniciativas e novas formas de aprendizagem. Trata-se de uma rede particularmente importante para a Europa, que enfrenta hoje vários desafios ao nível da educação, nomeadamente a necessidade de tornar o ensino superior acessível a todos”.
Para Manuel Heitor, a oferta de um sistema de ensino superior diversificado, sobretudo no contexto regional, é outro dos desafios enfrentados pelos países europeus. “Para diversificar, especializar e expandir o ensino superior precisamos de articular, cada vez mais, educação, investigação e inovação. Este triângulo só pode ser concretizado, no contexto europeu, com instituições que estão bem conectadas com o contexto local e regional, como é o caso das oito instituições que estão envolvidas nesta rede”, sublinhou.
Sob o mote “O potencial de transformação das Universidades Europeias”, os presidentes e reitores da RUN-EU partilharam as suas visões sobre o impacto que a rede terá nas instituições, nos estudantes e investigadores, e em todos os colaboradores, sendo unânime o impacto do projeto ao nível da mobilidade, do desenvolvimento regional e do potencial de partilha de aprendizagens e competências.
Também a presidente do Politécnico do Cávado e do Ave, Maria José Fernandes, discursou durante a apresentação da Universidade Europeia, onde destacou algumas das prioridades que estarão na agenda das instituições, nomeadamente a inovação pedagógica, a disponibilização de cursos a nível europeu, o desenvolvimento de competências avançadas, a criação de laboratórios europeus, entre outras. “Para a nossa instituição, pertencer à RUN-EU é darmos um passo para nos reinventarmos e reinventarmos o que fazemos e o modo como o fazemos. Estamos prontos e empenhados em contribuir para o desenvolvimento desta parceria”, garantiu Maria José Fernandes.

 
Voltar