Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

As escolhas de Valter Lemos Suzuki Swift – marcar diferença

24-01-2022

A Suzuki é uma conhecia marca de automóveis e de motos que começou no fabrico de teares no início do século XX. Nas motos é um dos quatro samurais japoneses (Honda, Yamaha, Kawasaki e Suzuki) conhecidos em todo o mundo. Nos automóveis a marca tem, em Portugal, menor notoriedade, mas, noutras zonas do mundo, como na Índia é, há muitos anos, uma das mais vendidas.
A Suzuki é especialista em carros pequenos e acessíveis com tração integral. Todos os portugueses conhecem os pequenos jipes Jimny e Vitara, que há muitos anos palmilham as estradas portuguesas e permitiram o acesso de muitos a veículos com tração às quatro rodas.
O Swift é o utilitário da marca, cujo portefólio inclui ainda no nosso país, para além do suv Vitara, o citadino Ignis e o mais familiar S Cross.
O Swift é um utilitário com design impressivo com uma certa pinta desportiva, que, apesar de menor expansão em Portugal, já vendeu mais de um milhão de unidades na Europa nas três séries que foram produzidas desde 2005. O carro é leve (menos de mil kilos) mas tem um bom pisar sem deixar de ser confortável. Não é propriamente um desportivo, mas tem bom comportamento a curvar e travões à altura.
A propulsão é constituída por um sistema semi-hibrido (mild hybrid) composto por um motor a gasolina 1.2cc de 90 cv, auxiliado por um gerador elétrico de 12v nos arranques e acelerações, o que permite baixas emissões, cumprindo a norma Euro 6 e consumos na ordem dos 5l/100 Km. Na versão Sport o motor é um 1.4 de 130 cv e o gerador elétrico é de 48 volts.
O interior é bastante agradável com materiais que, não sendo premium, estão ao nível dos concorrentes. A mala está na média do segmento com os seus 265 litros.
Mas o que o Swift tem diferente dos seus concorrentes é uma versão com tração integral (All Grip), como é típico dos modelos da Suzuki. Evidentemente que com a baixa altura ao solo, o Swift não pretende ser um todo o terreno, mas o sistema 4x4 acrescenta um extraordinário fator de segurança em pisos molhados ou escorregadios, permitindo ainda uma condução bem mais agressiva sem afetar a segurança.
Finalmente os preços são bastante competitivos. Começam um pouco abaixo dos 15 mil euros para a versão de entrada, passando pelos 16 mil da versão de caixa automática e quase 17 mil pelo 4x4. A versão Sport 1.4 ultrapassa um pouco os 23 mil euros.
Se pretende marcar a diferença no mundo dos utilitários o Swift é uma boa forma de o fazer.

Valter Lemos
Professor Coordenador do IPCB | Ex Secretário de Estado da Educação e do Emprego

Este texto não segue o novo Acordo Ortográfico

 
Voltar