Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Royal Enfield Classic 350 – Verdadeira clássica As escolhas de Valter Lemos

20-05-2022

A Royal Enfield tem vindo a remodelar a sua gama, com modelos que, mantendo as linhas clássicas que sempre os definiram, subiram muito a qualidade, real e percecionada, dos mesmos. Tal tem-lhe permitido alargar de forma significativa as vendas em mercados mais exigentes, como o europeu, onde as vendas dos mais recentes Interceptor e Continental GT, bem como da bem-nascida trail Himalayan, têm crescido de forma sustentada.
Na continuação da renovação da gama aparece agora a Classic 350.
As linhas da moto fazem jus ao nome. Linhas clássicas puras onde sobressai o escape cromado com uma ponteira “peashooter”, as rodas grandes com jantes de raios, o assento de duas peças, a pala sobre o farol redondo, as pegas laterais e de passageiro, etc.
A Classic 350 partilha várias componentes com a Meteor, entre os quais, o respetivo motor. Trata-se de uma unidade monocilíndrica de 349cc e 20,2 cv às 6100 rpm. Este motor não faz, obviamente, da Classic uma moto para grandes correrias e altas velocidades, mas garante um excelente comportamento a baixas rotações e uma regularidade que facilita muito a movimentação em trânsito urbano e torna delicioso um passeio em estrada de montanha ou à beira-mar. Tudo isto facilitado por um baixo centro de gravidade, uma suspensão muito confortável e uma direção muito maneável e com excelente brecagem. Também os assentos, quer do condutor, quer do passageiro, são bastante confortáveis e a sua baixa altura ao solo permite o acesso a condutores de qualquer estatura.
Ainda que a velocidade máxima não seja muito elevada é possível circular em estrada aberta num ritmo de cruzeiro acima dos 100 Km/h, sendo os consumos muito contidos, com uma média inferior a 3 litros/100 Km, permitindo assim uma extensa autonomia de cerca de 400Km, já que o depósito apresenta 13 litros de capacidade.
Os acabamentos são muito cuidados dando a sensação de uma boa qualidade de construção, reforçada pela ausência de vibrações ou ruídos parasitas. A marca oferece garantia de 3 anos, reforçada por assistência em viagem também pelo mesmo período.
O preço inicia-se ligeiramente abaixo dos 5 mil euros, existindo diversas opções de personalização que poderão acrescentar algumas dezenas ou centenas de euros. Este preço é cerca de 500 euros acima da “irmã” Meteor, o que é explicado por uma maior exclusividade e uma perceção de qualidade superior.

Valter Lemos
Professor Coordenador do IPCB | Ex Secretário de Estado da Educação e do Emprego
 
Voltar