Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

As escolhas de Valter Lemos Honda X-ADV – A moto crossover 22-03-2021

Com o dealbar do séc. XXI começou a generalização dos automóveis “crossover”. Estes diferem dos SUV que existiam anteriormente pelo facto de apresentarem uma arquitetura baseada numa plataforma de um veículo comum, com uma carroçaria monobloco leve, mas mais alta do que o modelo de origem. O êxito dos crossover foi tal, que hoje a larga maioria dos automóveis tipo SUV do mercado têm essa origem.
Nas motos o movimento foi mais tardio e menos generalizado. Mas em 2016 a Honda resolveu inovar e fazer uma moto bem diferente das outras. Uma mistura de uma scooter com uma trail. De um projeto em que muito poucos acreditariam, nasceu uma estrela: a X-ADV.
Inicialmente olhada com alguma desconfiança, foi ganhando adeptos e hoje já ninguém põe em dúvida as excelentes qualidades desta crossover. Especialmente na versão de 2021.
Já cumprindo a norma Euro 5 em 2021, o motor de 745cc debita agora 58 cv. A caixa automática DCT tem 6 velocidades, com as três primeiras mais curtas para permitir melhores acelerações. Quatro modos de condução – Rain, Standart, Gravel e Sport – permitem a adaptação a diferentes terrenos e condições.
Como as scooters tem boa proteção frontal, um generoso espaço debaixo do assento (21 litros) e ainda um porta-luvas. Como as trail tem suspensões de longo curso e travões com discos dianteiros de 296 mm.
Esteticamente agressiva tem faróis duplos de Led com luzes diurnas idênticas às da irmã Africa Twin e instrumentação TFT muito completa e configurável.
Com um excelente quadro, suspensões, travões e pneus e boa proteção frontal, a X-ADV promete um comportamento exemplar, confortável em estrada como uma maxiscooter e eficaz e divertido em terra como uma boa trail. Só o consumo (cerca de 5 litros) e o preço (acima dos 12 mil euros) são menos entusiasmantes.
Mas é uma verdadeira curtição e… não tem concorrência, pois não há outra semelhante em qualquer outra marca.

Valter Lemos
Professor Coordenador do IPCB | Ex Secretário de Estado da Educação e do Emprego
 
Voltar