Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

As Escolhas de Valter Lemos Peugeot 208 – Garra de leão 23-10-2020

A Peugeot é uma marca de automóveis francesa com pergaminhos no mercado, que lhe advêm da sua antiguidade e dos inúmeros sucessos comerciais e desportivos que recheiam a sua história.

Atualmente a marca é detida pela empresa PSA, que detém igualmente a Citroen e que tem em Portugal (Mangualde) uma fábrica onde se têm produzido, desde 1964, diversos modelos, tendo o primeiro dos quais sido o célebre 2 CV.

Atualmente a fábrica de Mangualde produz os modelos Citroen Berlingo e Peugeout Partner, sendo a segunda maior fábrica automóvel em Portugal e o décimo maior exportador nacional.

Em 1983 a Peugeot lançou o 205, modelo na gama dos utilitários, que teve um sucesso estrondoso quer no campo comercial (foi produzido até 1998), quer no campo desportivo (foi campeão mundial de ralis, entre outros títulos) e afirmou-se como uma das principais marcas europeias e mundiais, nesta gama de veículos.

Ao 205 sucederam-se o 206 (também um grande êxito comercial), o 207 e mais recentemente o 208, que agora se apresentou em nova versão.

Mais moderno, mais musculado, mas também mais sedutor. Mais largo e um pouco mais baixo, apresenta uma frente agressiva com as luzes led dos faróis e farolins a assemelhar-se a duas garras como alusão ao leão que é a imagem da marca.

O interior é moderno e marcado pelo conceito i-cockpit da Peugeot que assenta na digitalização de toda a informação com um painel 3D e um ecrã de 7 ou 10 polegadas, consoante a versão.

O i-cockpit obriga à existência de um volante pequeno, para que o condutor possa ver o painel por cima daquele e não através do aro como acontece nos restantes automóveis.

No respeitante à habitabilidade o 208 está na média e a mala apresenta 265 litros, o que não sendo muito, é razoável para o segmento.

O 208 apresenta versões a gasolina (1.2 Puretech) de 75 a 130 cv, versão diesel (1.5 BlueHDI) com 100cv e, pela primeira vez, uma versão elétrica com 136 cv e autonomia até 340 Km. O consumo das versões a gasolina é de 5,5 a 6 litros e o diesel anda nos 4 litros por 100 km.

Os preços iniciam-se nos 16.700 euros da versão base (Like) a gasolina e vão até aos 26.500 da versão diesel mais equipada (GT Line). A versão elétrica (e-208) vai dos 32.150 aos 37.650 euros, consoante o nível de equipamento.

Valter Lemos
 
Voltar