Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Escola Plano de recuperação de aprendizagens implementado em mais de 80% nas escolas

05-05-2022

Mais de 80 por cento das ações previstas no Plano de Recuperação de Aprendizagens estão a ser implementadas pelas escolas e Agrupamentos, informou ao Ensino Magazine o Ministério da Educação.

Em média, cada ação abrangeu cerca de 11 mil turmas. Todavia, o número de turmas envolvidas varia entre ações, destacando-se a ação "Escola a Ler" (25.687 turmas dos ensinos básico e secundário, com especial incidência no 1.º ciclo – 10.313 turmas).

Os números fazem parte da primeira monitorização daquela Plano e que acaba de ser enviado às escolas, e que resultou de um inquérito respondido por 96,4% das escolas portuguesas.

De acordo com o documento a que tivemos acesso, há três ações que se destacam: “Escola a Ler”, adotada por 82% das escolas/Agrupamentos; “Começar um novo ciclo”, implementada por 74% dos estabelecimentos; e “Capacitar para avaliar”, que envolve 66% das escolas.

Os dados mostram ainda que as ações menos selecionadas pelos AE/E foram as "Turmas Dinâmicas" (37%) e "Gestão do ciclo" e "Avançar recuperando" (ambas com 39%).

O Estudo explica que “há uma maior relevância do ensino básico sobre o ensino secundário, na implementação de medidas específicas previstas no Plano, a que não é alheio a organização da rede de escolas assente na natural existência de um maior número de estabelecimentos de ensino que ministra o ensino básico relativamente ao número que ministra o ensino secundário”.

Para além disso, é evidente “o comportamento não sempre crescente ou sempre decrescente com o ciclo de estudos do ensino básico – da ação específica Constituição de Equipas Educativas. Na verdade, de entre os AE/E que selecionaram esta ação específica, a maior proporção aplicou-a não no 1.º ou no 3.º ciclo do ensino básico, mas antes no 2.º ciclo”.

Os resultados agora divulgados demonstram que no 1.º ciclo do ensino básico, as ações específicas mais implementadas pelos AE/E são os “Rastreios Visuais e Auditivos” (95% dos AE/E que selecionaram a ação específica), “Começar um Novo Ciclo e/ou 1.º Ciclo e Novos Ciclos” (92%) e “Escola a ler” (89%). Segue-se a ação “Gestão do Ciclo”, implementada por 77% dos AE/E, e um grupo de quatro ações cujas proporções de implementação variam entre 55% e 65% - “Turmas Dinâmicas”, “Aprender Integrando”, “Diário de Escritas” e “Avançar Recuperando”. Por fim, a ação específica com menor implementação – “Constituição de Equipas Educativas (46%) – porventura por estarmos num ciclo de estudos do ensino básico ainda associado à “monodocência”.

No 2.º Ciclo do ensino básico, identificam-se três níveis de implementação de ações específicas pelas escolas, a saber: “Constituição de equipas educativas”, implementada por 90% dos AE/E; “Aprender Integrando”, “Gestão do Ciclo”, “Escola a Ler” e “Começar um Novo Ciclo e/ou 1.º Ciclo e Novos Ciclos”, com taxas de adesão que variam entre 76% e 82%; e“Turmas Dinâmicas”, “Diário de Escritas” e “Avançar Integrando”, com 70%.


No 3º ciclo as ações específicas poderão ser divididas em dois grandes grupos: um primeiro, relativo às ações implementadas no 3.º ciclo por cerca de 4/5 (80%) dos AE/E que as selecionaram – “Escola a Ler”, “Gestão do Ciclo”, “Aprender Integrando” e “Avançar Recuperando” (valor máximo observado, 83%). E um segundo grupo, formado pelas ações cuja proporção de implementação varia entre 64% e 71% (“Turmas Dinâmicas”, “Começar um Ciclo ou 1.º Ciclo e Novos Ciclos”, “Diário de Escritas” e “Constituições de Equipas Educativas”.

Finalmente, no Secundário, para além da ação específica “Rastreios Visuais e Auditivos”, também a ação “Avançar Recuperando” não pode ser selecionada pelas escolas ou agrupamentos de escolas para implementação. Adicionalmente, é neste nível de ensino que a implementação de ações específicas de recuperação de aprendizagens, previstas no Plano 21|23 – Escola+, é menos acentuada. Pela maior proporção de implementação sublinham-se as ações “Aprender Integrando” (38% dos AE/E que a selecionaram) e “Escola a Ler” (37%); pela menor, a ação “Turmas Dinâmicas” (18%).

 
Voltar