Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

“Se canto são as palavras” e “Jardim do Paço” Poesia de António Salvado nos 250 anos da elevação de Castelo Branco a cidade

14-12-2021

“Se canto são as palavras”, a antologia organizada por Paulo Samuel sobre a obra de António Salvado, e o livro Jardim de Paço, com poemas de António Salvado e ilustrações de José Manuel Castanheira, foram apresentados, no passado dia 9 de dezembro, na Biblioteca de Castelo Branco.
Inserida nas comemorações dos 250 anos de elevação de Castelo Branco a cidade, a antologia (Ed. RVJ Editores) constituiu também o reconhecimento pela obra de um dos melhores poetas portugueses contemporâneos.
O percurso do poeta é nos apresentado em 150 páginas, um número que corresponde à soma da idade de António Salvado (85 anos) com o período que decorre desde a publicação do seu primeiro livro (65 anos), como explicou Paulo Samuel, na apresentação do livro.
António Salvado recorda que “várias antologias de poemas meus têm sido publicadas em Portugal e em Espanha. Destas últimas relevo a sua amplitude geográfica iberoamericana”. Tendo como editor João Carrega, “esta antologia distingue-se em todos os aspetos: desde o trabalho de Paulo Samuel, na profunda atenção posta na organização deste volume, como a escolha criteriosa dos poemas antologiados; o prefácio, que constitui uma excelente análise da minha poesia; o estabelecimento da exaustiva bibliografia relativa a todos os meus livros (poesia e prosa); até à pintura do meu rosto pelo notável pintor Ermeneciano (com aquele sorriso disfarçado dos meus lábios, que diz muito…). Todas estas coordenadas se conjugaram para a importante concretização desta antologia”, diz António Salvado.
Na cerimónia foi também apresentado o livro “Jardim do Paço” (Ed. Caleidoscópio) , com poemas de António Salvado e pinturas de José Manuel Castanheira. O livro foi apresentado por José Dias Pires, numa cerimónia que reuniu, tendo em conta as normas da DGS, muitos amigos em torno de duas obras que o Município e a Freguesia de Castelo Branco concretizaram. Leopoldo Rodrigues, presidente da autarquia albicastrense, aproveitou a ocasião para elogiar as duas publicações e o dinamismo cultural do concelho.

 
Voltar