Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Gente & livros Doris Lessing

14-12-2021

Doris Lessing, nascida Doris May Tayler foi uma escritora britânica, Prémio Nobel da Literatura de 2007, nascida no Curdistão Iraniano, atual Irão, em 1919.
Na sua obra, a autora, falecida em 2013, na cidade de Londres, aborda temas que vão desde a justiça social, ao feminismo e à ficção científica.
Filha do capitão Alfred Tayler e da sua mulher Emily Maude Tayler, ambos cidadãos britânicos nascidos em Inglaterra, Doris Lessing viveu no Curdistão iraniano até os seis anos de idade, quando a família parte para a colónia britânica da Rodésia do Sul (hoje o Zimbabwe).
Educada na Escola Secundária do Convento Dominicano de Salisbúria, abandona a instituição aos 13 anos e torna-se autodidata em toda a sua formação posterior. Com o agudizar do conflito com a mãe, Doris sai de casa aos 15 anos e passa a trabalhar como ajudante de ama. Começa a escrever nesta altura, inspirada pelos livros de política e sociologia que lhe são emprestados pelos patrões.
Mais tarde muda-se para Salisbúria para trabalhar como telefonista. Casa em 1939 com Frank Charles Wisdom, com quem teve dois filhos, mas quando o casal se separa, em 1943, as crianças ficam com o pai.
Após o divórcio, Doris começa a frequentar o Left Book Club, círculo de leitores de inspiração comunista. Ali conhece o seu segundo marido, o alemão Gottfried Lessing. Casam em 1945 e têm um filho. O casal divorcia-se em 1949 e Doris parte com o filho para Londres, onde nesse mesmo ano publica o primeiro romance “A Erva Canta” .
Em 1962 publica o que é considerado o seu livro mais famoso, “O Caderno Dourado”, que a consagra como escritora.
Com 87 anos, e mais de meia centena de livros editados e muitos prémios literários, é agraciada com o Prémio Nobel da Literatura de 2007. A Academia Sueca distinguiu Doris Lessing como “contadora épica da experiência feminina, que com ceticismo, ardor e uma força visionária perscruta uma civilização dividida”.

Tiago Carvalho
livroscotovia.pt
 
Voltar