Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Atualidade Como devo escolher o curso ou a instituição de ensino superior?

29-06-2022

A primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao ensino superior tem início a 25 de julho e termina a 8 de agosto. Este é um momento importante para o teu futuro. Escolhidos os exames de acesso, há que analisar as possibilidades e os cursos pretendidos, comparar as médias de entrada do passado, e fazer as escolhas que consideras mais acertadas.

Há um conjunto de fatores que te podem ajudar na decisão e que deves ter em conta. Não são dicas decisivas, mas podem ajudar-te, a ti e à tua família, a escolher o teu futuro. Toma nota.

1

Muitas vezes, nesta altura ainda são muitas as dúvidas que pairam no ar. Será que quero ir para este curso? Para aquela instituição? Estarei a pensar bem ou estou a escolher a formação para a qual a maioria dos meus colegas está a pensar ir. Nesta equação, é importante que penses por ti, por aquilo que pensas vir a fazer no teu futuro, sempre com a ideia de que a licenciatura é o início de um caminho e não o fim. Podes fazer uma licenciatura numa determinada área e fazer o mestrado numa outra que também gostes e, mais tarde, o doutoramento numa outra.

2

Não feches portas e tenta ser o mais racional possível. A entrada no ensino superior é um momento importante para o teu futuro. A rede de universidades e politécnicos é vasta. Está em todo o país. Mais perto ou mais longe de casa, terás sempre uma oportunidade. E é nisso que deves pensar.

Todos os cursos estão avaliados e acreditados pela Agência Nacional de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (a A3ES). Este é o garante de qualidade no processo formativo. Como vês não tens razão para ficar de fora.

Com as notas que obtivestes no ensino secundário e com as que vais obter nos exames, só tens que fazer contas e analisar as possibilidades, sabendo que a nota dos exames de ingresso pode ter uma influência entre 35% a 50%, dependendo do curso e da instituição a que te candidatares. Aqui podes encontrar as últimas notas de entrada de todos os cursos do ensino superior público em 2021. Assim ficarás com uma ideia do que está em cima da mesa.

3

Lembra-te que por vezes o facto de não entrares naquela que era a tua escola de sonho não significa que uma outra opção não seja igualmente boa. No ensino superior o caminho faz-se caminhando. Pensa nisso e procura escolher os cursos em que tens mais possibilidades de entrar. Não queiras ficar de fora.


4

Neste processo de escolha, há outras questões importantes que deves ter em conta, como a empregabilidade dos cursos e as saídas profissionais que lhe estão associadas. São dados que podes encontrar no portal InfoCursos que a Direção Geral do Ensino Superior anualmente publica.

5

O fator económico é também determinante no momento de se tomarem decisões. Quando entras no ensino superior há um conjunto de verbas que lhe estão associadas como as propinas, o alojamento ou a alimentação. A isto deves somar algum dinheiro que normalmente é necessário, como fotocópias ou aquisição de manuais.

O ideal é que nenhum estudante deixe de estudar por falta de dinheiro. Nesse sentido, o Estado tem também disponível um programa de bolsas de estudo e um conjunto de programas de apoio, como o que visa incentivar e apoiar a frequência do ensino superior em regiões do país com menor procura e menor pressão demográfica por estudantes economicamente carenciados que residem habitualmente noutras regiões. Podes encontrar os diferentes regulamentos aqui.

Há ainda diferentes instituições que anualmente atribuem bolsas, como o Santander Universidades ou o Ensino Magazine, as quais podem ser uma ajuda.

6

Não desistas. Se não entrares na 1ª fase poderás tentar entrar na 2ª fase do Concurso Nacional de Acesso, tendo em conta as vagas sobrantes da 1ª fase. Caso fiques colocado(a) e queres tentar um outro curso também o poderás fazer na 2ª fase. Neste caso particular se fores colocado na 2ª fase, a colocação na 1.ª fase, bem como a matrícula e inscrição que realizaste, são anuladas. A lógica repete-se na 3ª fase de candidaturas.

Agora desejamos-te boas escolhas.

 

ENSINO SUPERIOR COM MAIS VAGAS: MÉDIAS DE ENTRADAS E CURSOS DISPONÍVEIS

A primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior decorre de 25 de julho a 8 de agosto. Este ano aumentou o número de vagas, num total de 53640, às quais se somam 721 para os concursos locais.

O Ensino Magazine mostra-te, aqui, instituição a instituição as vagas disponíveis e as últimas notas de entrada em cada um dos cursos.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explica, em nota enviada à nossa redação, que este aumento corresponde a um crescimento de 2,6% face ao ano anterior.

De acordo com a tutela, “o número de vagas disponibilizadas nas instituições localizadas em regiões com menor pressão demográfica cresce 3.8% quando comparado com as vagas inicialmente fixadas ano letivo anterior, enquanto o número de vagas nas demais regiões cresce 2.5%”.

Além disso, verifica-se um reforço de 3.6% de vagas em ciclos de estudos que visam a formação em competências digitais face às vagas iniciais do ano anterior, sendo disponibilizadas 8903 vagas”.

Neste concurso “são também disponibilizados 25 cursos novos apoiados pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), orientados para reforçar a formação superior inicial e o aumento do número de graduados em áreas STEAM (STEAM- Science, Technology, Engineering, Arts and Mathematics) e atingir as metas de graduação fixadas pelo PRR até 2026”.

A Direção Geral de Ensino Superior adianta que “os cursos novos financiados pelo PRR representam 642 vagas, sendo 365 destas disponibilizadas em Lisboa e Porto e 217 no resto do país”. Foram também fixadas mais 153 vagas nos ciclos de estudo com maior concentração de melhores alunos.

Os dados mostram que “o número de vagas em Medicina volta a crescer, sendo disponibilizadas 1534 vagas no CNA. Nos últimos três anos, o número total de vagas em Medicina, consideradas todas as vias de ingresso (concurso nacional de acesso, concurso para ingresso de licenciados e concurso institucional para ingresso na UCP, cresceu 5% (1782 vagas em 2019 e 1873 vagas em 2022).

Já o número de vagas em licenciaturas em Educação Básica cresce 7%, sendo disponibilizadas mais 56 vagas.

 

 

 
Voltar

Outras notícias de interesse