Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Coimbra investiga SARS-CoV-2 Terapia elimina vírus

23-10-2020

Eliminar o vírus SARS-CoV-2 (que provoca a doença Covid-19) logo na principal “porta de entrada” no organismo, isto é, nas fossas nasais, usando a terapia fotodinâmica, é o grande objetivo do projeto “FOTOVID”, um projeto que acaba de obter 450 mil euros de financiamento do Programa Operacional Centro 2020.

A investigação junta em consórcio a Universidade de Coimbra, através de equipas multidisciplinares das faculdades de Ciências e Tecnologia e de Medicina, o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, a empresas LaserLeap (Coimbra), que coordena o projeto, e a canadiana Ondine Biomedical, líder mundial na fotodesinfeção antibacteriana.

Os responsáveis do consórcio sublinham que o projeto assenta no “conhecimento recente de que o SARS-CoV-2 se associa a uma proteína preferencialmente presente nas cavidades nasais, onde se cria um reservatório de vírus responsável pela transmissão da doença e generalização da infeção”.  Assim, fundamentam, “a inativação dos vírus presentes nas cavidades nasais nas fases iniciais da doença Covid-19 poderá acelerar o tratamento, permitir que apenas se manifestem as formas mais benignas da doença, e contribuir para impedir a propagação da pandemia”.

Partindo de uma tecnologia de desinfeção nasal criada pela empresa canadiana, parceira no projeto, que já é utilizada em todo mundo para eliminar bactérias multirresistentes, o consórcio vai desenvolver uma terapia inovadora capaz de matar vírus, em particular o coronavírus responsável pela Covid-19.  A investigação será assim mais rápida e, em caso de sucesso, a colocação no mercado será mais fácil e a custo reduzido.

Os primeiros testes arrancam este mês de outubro, na Faculdade de Medicina, com amostras de vírus de doentes infetados por Covid-19 fornecidas pelo Serviço de Doenças Infeciosas do CHUC. Posteriormente, quando a equipa comprovar a eficácia da inativação fotodinâmica do vírus SARS-CoV-2, seguem-se os ensaios clínicos com doentes voluntários, o que deverá acontecer no próximo ano. Os testes vão ser coordenados pelos professores Manuel Santos Rosa e José Saraiva da Cunha.

 
Voltar