Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Banda já editou no Japão e está no Festival da Canção Com Nort(e)on para a Eurovisão

21-02-2022

Os Norton, com 20 anos de carreira, olham para a Eurovisão como um objetivo. O quarteto de Castelo Branco, que já editou não só em Portugal, como noutras latitudes como o Japão, foi uma das bandas convidadas para o Festival da Canção. Dia 5 de março são as meias finais e a música ‘Hope’ parece estar a encantar (para ver e ouvir basta clicar nas fotos).

A banda portuguesa olha para o Festival da Canção como um desafio e a explica que o tema Hope espelha muito daquilo que são os Norton. Composta por Pedro Afonso (voz, guitarra, teclados), Rodolfo Matos (bateria), Leonel Soares (baixo e teclados) e Manuel Simões (guitarra), fala ao Ensino Magazine, com as vozes de Rodolfo e Pedro.

2022 começa da melhor maneira para os Norton. Como é que surgiu a possibilidade da banda interpretar um dos temas no Festival da Canção?
Sem dúvida. Há um ano, jamais imaginaríamos estar neste momento a preparar-nos para o Festival da Canção.
A oportunidade surgiu de um convite que nos foi feito pela RTP e pela produção do Festival da Canção, para compor e interpretar uma música para a edição de 2022. No verão do ano passado, recebemos um telefonema do Nuno Galopim que nos deixou bastantes surpresos, mas, acima de tudo, bastante orgulhosos e felizes.

Satisfeitos com o resultado final do tema Hope?
Muito satisfeitos, mesmo. A canção espelha muito de nós os quatro e do estado de espírito que nos acompanhou nos últimos meses. Acreditamos que a música, ou apenas uma canção por si só, tem o poder de curar, mudar ou salvar a vida de uma pessoa. Então, partindo deste pressuposto deves depositar todo o teu amor em algo que é tão potente. A nossa maneira de estar na música, e aquilo que os Norton significam para nós, não nos iriam deixar fazê-lo de outra maneira.

A presença no Festival da Canção o que poderá acrescentar aos Norton? Quais as vossas expetativas?
Acima de tudo, uma maior visibilidade e, com isso, conseguir chegar a um auditório maior. Chegar a pessoas que, se calhar, de outra maneira, seria difícil conhecerem a nossa música. A projecção e atenção que o Festival da Canção tem neste momento é muito grande. Há público do mundo inteiro a ouvir as canções, a fazer vídeos com reacções às canções no YouTube e muitas publicações a entrevistar os artistas. Tem sido engraçado perceber como funciona este mundo da Eurovisão.

Além de tudo isto, temos aprendido bastante com esta experiência. Tem sido muito enriquecedor. A Eurovisão é um objetivo?
Claro que sim, mas primeiro gostaríamos muito de passar à final do Festival da Canção. Somos conscientes de que a nossa semifinal está repleta de artistas com muito talento mas, como sempre, confiamos muito no nosso trabalho e nas pessoas com as quais nos rodeamos para trabalhar. Isso deixa-nos de certa forma tranquilos para o que possa vir a acontecer. As últimas edições têm também sido marcadas pelo factor “surpresa” na hora das votações e decisões pelo que estará tudo em aberto.

Os últimos dois anos foram vividos em pandemia, que impacto isso teve na banda?
Teve um impacto muito grande. O nosso disco mais recente, “Heavy Light”, era suposto ter saído na semana a seguir a entrarmos em confinamento e tivemos de adiar a edição assim como toda a tour de apresentação que iria começar no mês seguinte. Foi muito complicado, acabámos por editar o disco em Julho de 2020 mas já não foi possível fazer muitos dos concertos previstos inicialmente. Por exemplo, os concertos de lançamento do álbum em cidades como Lisboa e Porto, que por motivos óbvios têm um grande peso para qualquer banda, só conseguimos fazer em Outubro do ano passado. Foi muito tempo sem espectáculos e não foi nada fácil. Nesse sentido, o convite do Festival veio na altura certa para nós.

Que projetos poderemos esperar para este ano dos Norton?
Iremos certamente lançar mais música nova até ao final do ano, mas o que mais queremos neste momento é tocar ao vivo. Voltar a sentir a energia de uma sala cheia. Podemos adiantar que vamos estar, já no dia 2 de Abril, no Musicbox, em Lisboa.

Está previsto um novo disco?
Um disco novo está sempre nos planos. Adoramos fazer música os quatro. Mas, este ano, possivelmente, ainda não. Estamos a trabalhar em canções novas e gostamos de levar o nosso tempo. Lançar mais música, antes do final do ano, é um dos nossos objectivos.

Quando poderemos ouvir os Norton a interpretar temas em português?
Neste momento não está nos nossos planos, mas já aprendemos que não se diz nunca. Talvez um dia isso aconteça, quem sabe... Será certamente um bonito desafio.

Arlindo Camacho
 
Voltar