Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Campeonato do Mundo de Motonáutica em Vila Velha de Ródão Os gloriosos pilotos dos barcos voadores

25-10-2021

Portugal acolheu o Campeonato do Mundo de Motonáutica nos passados dias 16 e 17 de outubro. O Rio Tejo, em Vila Velha de Ródão, recebeu os melhores pilotos do mundo, num evento em que os barcos chegaram a atingir os 190 km/h.

A última prova do Campeonato do Mundo em Motonáutica em Fórmula 2 decorreu em Portugal, no rio Tejo, em Vila Velha de Ródão. A prova foi emotiva quanto baste e juntou os melhores pilotos da atualidade. A velocidade foi uma constante. Nesta comeptição as embarcações conseguem chegar aos 100 km/h em apenas 4 segundos, atingindo uma velocidade máxima de 190 km/h.
Com o monumento natural Portas de Ródão como pano de fundo, a competição reuniu, nas margens do rio muitos espetadores que não quiseram perder a oportunidade de ver, ao vivo, uma prova que juntou a velocidade à perícia. Este facto viria a ser destacado pelo presidente da Federação Portuguesa de Motonáutica, Paulo Ferreira.
A vitória acabou por surgir ao piloto dos Emirados Árabes Unidos, Rashed Al Qemzi, que liderou sempre a prova, nas 45 voltas ao circuito, sagrando-se com este triunfo campeão do mundo.
Deste modo, o português Duarte Benavente, campeão do mundo no ano passado, perdeu a oportunidade de renovar o título. No final da prova o atleta lusitano, lembrou que “os campeonatos não se ganham todos anos. Estivemos sempre na luta por um lugar melhor, mas os erros pagam-se caros”.
Duarte Benavente aludia sobretudo à corrida realizada na Lituânia, que classificou como “estranha”. Já sobre o evento em Vila Velha de Ródão, o piloto português classificou-a como “espetacular”.
Luís Pereira, presidente da Câmara de Vila Velha de Ródão, também fez um balanço positivo da passagem do evento pelo concelho, destacando a importância da prova a nível mundial. O autarca sublinhou que esta é uma das fortes apostas que o município tem feito. “Faz todo o sentido esta aposta no rio Tejo, com as Portas de Ródão como pano de fundo”. Na sua perspetiva, é com este tipo de iniciativas que o nosso país se projeta internacionalmente e se afirmam as capacidades deste território”.

CMVVR
 
Voltar