Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Ensino Superior e Qualidade de Vida Covilhã organiza debate 10-12-2020

Estudar o impacto que as Instituições de Ensino Superior (IES) têm na qualidade de vida das regiões onde se inserem, quer ao nível qualitativo quer quantitativo, foi o objetivo do do projeto ‘U-Value: The Impact of Higher Education Institutions on the Quality of Life of Their Regions’, organizado pela UBI, a 25 de novembro, com transmissão em direto no Youtube.
Com a moderação de Maria de Lourdes Machado-Taylor, Investigadora do Centro de Investigação em Políticas de Ensino Superior, a sessão zoom iniciou-se pelas 18h00. Juntaram-se à conversa as convidadas Isabel Ferreira, Secretária de Estado da Valorização do Interior, a Professora Catedrática do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra, Helena Freitas e, no final da sessão, a Professora e Coordenadora do Projeto “U-Value”, Helena Alves.
“Começámos por desenvolver um sistema de indicadores para quantificar essa influência das IES nas populações, já fizemos esse levantamento em termos objetivos com base em dados secundários que existem em bases de dados. Depois iremos desenvolver uma matriz de impacto multidimensional das IES na qualidade de vida pela população e no final queremos ter um sistema de monotorização que nos permita aferir como é que as IES estão constantemente a contribuir ou não para a qualidade de vida das regiões onde se inserem”, refere a Coordenadora do Projeto “U-Value”, Helena Alves.
Com a problemática do despovoamento no interior, importa potenciar uma maior fixação das pessoas nestas regiões e, Helena Alves, explica que “o ecossistema onde a própria instituição se insere, contribui para essa fixação. A Universidade ao fazer o seu papel de disseminação de conhecimentos e de quadros de formação avançada, cria condições em termos de recursos humanos e capital intelectual”.
A coordenadora esclarece ainda que “apesar da tendência de o país não olhar para o interior ter vindo a inverter-se, durante muitos anos não se olhou para o interior como um território potencializador”. Helena realça ainda que a desertificação das zonas no interior se deve também ao facto de “os incentivos serem muito concentrados nas grandes cidades, sobretudo no litoral, e daí também as próprias empresas se situarem nesses territórios.”
O Webinar deste projeto foi o primeiro de uma série de sessões futuras, que se irão realizar nos dias 9 de dezembro, 7 e 20 de janeiro e 3 de fevereiro. O conteúdo desta sessão e das próximas irá estar disponível no canal de Youtube da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade da Beira Interior (FCSH-UBI).

Diogo Parente
 
Voltar