Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Reaproveitamento e valorização do sorelho IPCoimbra tem solução

18-03-2021

O Politécnico de Coimbra acaba de submeter uma patente sobre processo de transformação de sorelho em produtos de elevado valor acrescentado, que possibilita a diminuição do impacte ambiental e a valorização do principal subproduto da produção de requeijão, cujo tratamento é, atualmente, muito dispendioso.
A nova solução baseia-se na obtenção de um Concentrado Líquido de Sorelho (CLS), um produto rico em proteína e gordura que pode ser usado para produzir molhos para saladas ou bebidas lácteas fermentadas, uma vez que as proteínas do soro são consideradas das melhores proteínas do ponto de vista nutricional.
Se eliminado no ambiente sem tratamento o sorelho é um subproduto poluente, devido sobretudo à sua riqueza em lactose (cerca de 4%), mas esta sua nova transformação traduz-se em produtos de valor acrescentado com baixos custos de produção e baixos consumos energéticos.
Carlos Dias Pereira, docente e investigador da ESAC-IPC e coordenador do projeto, explica que a solução permite a aplicação de “processos de separação seletiva pouco dispendiosos em custos de capital e de funcionamento, quando comparados com os tradicionais processos de concentração seguidos de desidratação”.
O processo de obtenção de CLS tem aplicação nas Pequenas e Médias Empresas (PME) do setor dos lacticínios associadas à produção de queijo e de requeijão que, na sua generalidade, processam leite de ovelha e/ou cabra para o fabrico de queijo. Justifica-se o investimento nas empresas que pretendam processar mais de 1000 litros de sorelho diariamente e estima-se que numa unidade que processe valores da ordem de 1000 litros de leite por dia, o investimento em equipamentos ronde os 50 mil euros.

 
Voltar